segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Diz a lenda - A lei de Gerson

Fechando os olhos poderemos perceber que estamos dentro de um campo minado.

São estrelas com brilhos além do que o céu suporta.

Então vem a minha cabeça uma lembrança esquisita.

A Lei de Gerson.

Lembro também o bobo do texto da Clarisse Lispector.

Mas, não poderíamos nos igualar aos espertos.

Os espertos são cheios de palavras bonitas e sem erros de português.

Os espertos dirigem os seus carros com vidros fechados sem olhar para os lados quando nos vêem passar.

Os espertos vêem apenas os nossos pequenos erros sem jamais perceberem que seus ombros estão abarrotados de falhas que talvez nem cheguem perto dos nossos erros.

Alguns levam vantagens em tudo.

Ouvi o comentário de certo pára-quedista do meio do samba, que Escola de Samba é coisa de pobre.

Que carnaval na Rua Rio de Janeiro era coisa para beneficiar a pobreza da zona Leste.

Eu pobre, bobo e do samba, fiquei de queixo caído.

O que fazem algumas pessoas comandando o rumo do destino do nosso samba e carnaval?

Eu pobre possuo uma alegria verdadeira.

Para brincar carnaval visto apenas a minha alegria.

Basta de tanta vaidade em busca apenas de compensações financeiras.

Merecemos respeito.

Essa tal Lei de Gérson é meio esquisita.

Mas, algumas pessoas com o QI elevado (Quem Indica) com certeza estão no lugar errado.

Uma pena, pois quando percebemos, as suas vantagens são pequenas do ponto de vista na diferença entre o bobo e o esperto.

Os bobos acreditam em todos quando conseguem ver que suas almas são gigantes, mas, seus corações ainda não perceberam a grandeza de suas existências.

O esperto imagina luz apenas em seu caminho.

O caminho do bobo possui escuridão, mas, sempre existe uma luz no fim do túnel.

Mas, existe esta tal Lei de Gerson.

Bem, eu prefiro continuar bobo.

Simples.

Calado até certo ponto do texto.

Ficar sempre sem texto seria também participar na propagação da Lei de Gerson.

Assim devemos agradecer aos espertos, pois mostram que somos bobos.

Mas, Clarice tinha razão.

Os bobos são felizes.

Não sendo espertos, possuímos bem mais motivos para sermos felizes.

Mas, até os bobos percebem a Lei de Gerson.

Façam bom uso dela seus espertos.

Façam bom uso do céu cheio de vantagens que é só de vocês.



Diz a lenda

sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

Diz a lenda – Encontrar Deus

Por: Beto Ramos

Gostaria de encontrar Deus.
Olharia dentro dos seus olhos.
Tentaria compreender se todas estas enchentes são suas lágrimas por nossos erros que já atravessam séculos.
Tentaria ouvir a sua voz, ou mesmo quem sabe, o sopro de sua respiração.
Então tentaria compreender a força dos ventos.
Como gostaria de encontrar Deus.
Assim, tentaria compreender tantas devastações.
E quando fiquei em silêncio, encontrei Deus.
Como é fácil encontrar Deus em todos nós.
Então vi Deus na força daquelas águas que tentaram levar aquela senhora que tentou salvar o seu cachorro.
Ouvi Deus no pedido de socorro de sua voz em desespero.
E vi Deus nas entrevistas que deveriam nem existir.
E vi Deus dentro de mim.
Então Deus o que você tem a dizer?
Tantas pessoas mortas.
Crianças Deus!
Encontrei Deus no silêncio daquela criança que nem mesmo chorou na hora do resgate.
Encontrei Deus nos braços do pai que ficou abraçando o filho por tanto tempo.
É Deus, ainda continuo te encontrando em tantos lugares.
E vi Deus nas televisões.
Vi Deus neste nosso hospital que há muito pede socorro.
Precisariam Deus, existir João Paulo I, II e III.
E vi Deus naquelas pessoas jogadas pelos cantos.
Vi Deus nos olhos cheios de tristezas de tantas pessoas.
Mas, Deus ainda não tem BLOG.
Deus não precisa de internet para nos dá notícias de dias melhores.
Então vi Deus em tantas esperanças.
Coisas de todos nós que sempre insistimos em acreditar.
A coisa é séria.
Não poderíamos jamais brincar com Deus.
Querer ser Deus pior ainda.
Gostaria muito de encontrar Deus.
Acho que já encontrei.
Ele está por aí em todos os lugares.
Nas enchentes e nos hospitais de tantos lugares.
Gostaria de compreender a força das pessoas que sofrem com tantos pedidos de socorro nos hospitais em nossa capital que é notícia em todo o Brasil.
Gostaria de compreender a força daquela senhora tentando se salvar.
Ela ainda tentou salvar o seu cachorro.
Será que Deus se permitiria possuir um gosto especial pela Europa?
É Deus, Veneza não fica por aqui.
Encontrei Deus dentro de mim.
Apenas no silêncio das lágrimas dos meus olhos.
Diz a lenda

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

MOBY DICK


O MOBY DICK é um grupo musical de Porto Velho/RO, que tem como proposta oferecer um bom entretenimento ao interpretar músicas consagradas por grandes estrelas do estilo mais carismático, autêntico e juvenil: o Rock’n’Roll.

Formado por músicos atuantes na cena musical portovelhense desde a década de 80, conta com ERICK (vocal), ZENO (guitarra), Túlio (bateria) e Marcos (baixo), traz na bagagem o "CLASSIC ROCK SHOW": uma coleção de grandes composições que fazem uma coletânea do melhor do Rock mundial nas últimas décadas, desde as suas raízes nos anos 50 e 60 passando por Elvis Presley, The Beatles, Pink floyd, entre outros, até a geração mais recente do novo século, sem deixar de lembrar o rock nacional.

Com um repertório dinâmico de um espetáculo contagiante em que a grande estrela é o público que poderá reviver os grandes momentos da música ocidental numa grande reunião de gerações de apaixonados pelo rock’n’roll.



Estamos divulgando o show que será realizado nesta Sexta-feira 14/01/2011 ás 22:00, no BATKVERNA, localizado na Galeria Lacerda (Av. Sete de Setembro, 1803 - Centro - Porto Velho/RO.


Agradecemos ao apoio dos jornais, webjornais, blogs, rádios, tv, etc, e a todos que tem compromisso e valorizam a cultura, acreditando numa realidade melhor e digna para o engradecimento da sociedade rondoniense.

Contato: 069-3229-5022/8426-2279 - mobydick.pvh@gmail.com

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Diz a lenda – O Poeta e Andorinha

Por: Beto Ramos



O que dizer de um amor que nasceu para ser eterno?

Onde ficaria a eternidade dentro dos nossos desejos de posse constante pelo ser amado?

Eterno amor!

Bendito seja o amor!

Amor da gente.

Amor de dias difíceis.

Amor de amarguras que vão sendo esquecidas com um perdão de quem ama de verdade.

O que dizer de um amor das andorinhas.

Amor que nasce e não pode morrer meio a um agosto ao gosto de destino.

Bendito seja o amor de todos os dias.

Amor de gostos diferentes

De cores diferentes.

Amor de cheiros diferentes.

Existiriam iguais num mesmo amor?

O amor torna-se uma história.

A história de um amor são páginas escritas pela vida.

Saber viver é uma prova de amor.

Bendito seja o amor.

O amor de lágrimas de saudades.

O amor de um silêncio profundo que diz tudo quando o amor é verdadeiro.

O que dizer de um amor que nasceu para ser eterno?

O amor verdadeiro é escrito nas estrelas.

Para o ser amado existe apenas um céu.

Um céu particular.

Um céu com estrelas de todas as cores, de gostos diferentes.

Mas, este céu necessita possuir uma estrela que ofusca com seu brilho a luminosidade de todas as outras estrelas.

Esta estrela chama-se perdão.

Neste céu particular que existe em todos nós, podem existir milhões de estrelas com palavras cheias de carinho.

Mas, se não houver este brilho do perdão o que importaria o amor.

Bendito seja o amor!

O amor de duas vidas cheias de céus.

Tornando-se um só coração, o amor faz nascer todos os dias a esperança de que vale tudo para se manter um grande amor.

Deixem voar as andorinhas em suas vidas.

Bendito seja o amor!

O amor do carinho, do cuidado.

Mas, muito cuidado para não sufocar o amor.

O amor também precisa respirar.

Amor de poeta possui asas na inspiração.

E poeta quando possui uma musa, para sempre os seus versos serão da pessoa amada.

Viva o amor!

Só amor une duas pessoas especiais.

No amor de verdade é preciso exorcizar os sofrimentos passados por amor.

Bendito seja o amor!

O amor de duas vidas que se tornariam estranhas sendo divididas.

Viva o amor!

No amor a dor vai ensinando a gente.

E para não sofrermos é preciso amar para que a dor seja apenas inspiração para lindas canções do poeta para sua andorinha de agosto.



Diz a lenda

sábado, 8 de janeiro de 2011

Diz a lenda - Um segundo

Por: Beto Ramos





Viveria apenas um segundo, se em teus braços pudesse sempre respirar.

Existiria então a criatividade dos meus olhos dentro do brilho do teu horizonte.

Profunda grandeza de versos estranhos e sem vida.

Doce loucura de palavras feitas para desagradar e dar força a quem compreende para crescer.

Palavras bonitas nascem aqui e ali.

Meras palavras são seres esquálidos que ficam pelos cantos lamentando a sorte que lhes bateu a porta e não pode cumprimentá-los.

Triste lamento dos poetas que outrora sabiam da morte certa apenas por ilusão.

Viveria apenas um segundo se os teus braços pudessem me alcançar por onde eu for.

Eu, morto e sem palavras diante de um velho livro com páginas rasgadas.

E neste meu segundo de vida, estenderia os meus braços e te abraçaria meu Porto Velho do velho querida.

Então consertaria o livro rasgado, e junto dele navegaria no teu barrento Rio Madeira, sem rumo, apenas para contrariar a minha paixão que és tu minha terra querida.



Diz a lenda

sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

Diz a lenda - Silêncio




Por: Beto Ramos


O samba em nossa capital vem ganhando novos talentos.
A renovação é muito natural, pois a eternidade fica por conta apenas do tempo.
Ganhando novos talentos, o samba com certeza poderá ficar com a qualidade que lhe é peculiar em nossa capital.
Dentro das características de muitas inspirações, a valorização do nosso samba já pode respirar tranquila dentro do tempo em nossos corações.
O samba é do povo e para o povo.
O nosso samba precisa de promessas sem rezas.
Renovar é preciso.
Mas, precisamos manter o respeito com nossos decanos do samba.
Precisamos manter o respeito por Sílvio Santos, Bainha, Ernesto Melo, Cabeleira, Maracanã, Mestre Oscar, Zé Baixinho.
Na renovação não poderíamos nos ater a cultura do esquecimento.
Então precisaríamos lembrar do Babá, Manga Rosa, Bola Sete e tantos outros que foram pro andar de cima.
Chegando, os novos talentos precisam reverenciar quem faz e quem fez história.
Os novos talentos não poderiam ficar simplesmente na aba de um consumismo que em muitos casos enche o bolso, mas, poda a criatividade de muitos quando se intitulam promessas que estarão acima do bem e do mal.
Alguns decanos do nosso samba não precisam de reza para se manterem no topo de suas criatividades.
Deus e a natureza ocuparam-se apenas em dar talento, o nome na história eles escreveram sem ficar na sombra do nome deste ou daquele criador de rezas.
Então, muito cuidado com alguns que falam que fazem samba de verdade.
Falando demais, meia dúzia por aí vai precisar rezar muito para escrever seus nomes na história do samba em Porto Velho.
Promessas são apenas promessas.
Então, muita reza para alguns que ganhariam muito ficando em silêncio.

Diz a lenda

segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

Bloco Mistura Fina - 31/12/2010


Sílvio Santos - Beto Ramos - Rosimere.
Para começar 2011 com muito samba no pé!
Muito bom o Bloco Mistura Fina.

Beto Cesar - 2011 será o meu ano


Beto Cezar freqüenta rodas de samba com sambistas como Junior, ex- jogador do Flamengo

Para um rondoniense, o ano de 2011 promete ser especial. O sambista Beto Cezar, que grava seu terceiro CD, desta vez, com as bênçãos de dois dos maiores produtores da música brasileira: o compositor Carlos Colla e o maestro Alceu Maia. Com esta perspectiva, Beto Cezar vive momentos de ansiedade, mas também de certeza de que trata-se de um projeto vencedor. “Este vai seu o meu ano”, garante ele.

O título de ‘Revelação de 2010’ já é de Beto Cezar, que conquistou fãs com suas composições recheadas com citações do cotidiano de pessoas comuns e uma dose reforçada de bom humor. O conteúdo dos sambas do rondoniense chamaram a atenção do compositor Carlos Colla, que é autor de 44 canções gravadas por Roberto Carlos e outras tantas dezenas de músicas que fizeram sucesso no país inteiro na voz de intérpretes como Alcione, Xuxa, Legião Urbana, Erasmo Carlos e Fafá de Belém, entre outros.

Carlos Colla sentenciou que após o CD, que já está sendo gravado no Rio de Janeiro, Beto Cezar fará tanto sucesso que terá pouco tempo para desfrutar com os amigos. “Este garoto tem muito talento”, avalizou o renomado compositor.

Colla e Alceu
O maestro Alceu Maia é o responsável pelos arranjos do CD de Beto Cezar. No currículo de Alceu estão participações nos discos de Beth Carvalho, Clara Nunes, Simone, Martinho da Vila, Chico Buarque, Zeca Pagodinho, Jorge Aragão e Leci Brandão, além de outros grandes nomes da música brasileira.

Assim como Carlos Colla, Alceu Maia também aposta no talento de Beto Cezar e no sucesso do CD que esta sendo gravado. Ele faz elogios à sonoridade dos sambas do compositor rondoniense e se esmera para agregar ainda mais qualidade ao trabalho que está sendo feito para lançar Beto Cezar no cenário nacional.

“Estou na melhor companhia” comemora o sambista, que nas viagens que faz ao Rio de Janeiro é um nome a mais na constelação dos grandes sambistas. Ele pode ser visto em animadas rodas com Júnior, ex-jogador do Flamengo, Marquinhos PQD, Neném e Renatinho, só para citar alguns.

Diz a lenda - Saia rodada cultural

Ficamos meio a uma saia rodada.

Os talentos de nossa querida Porto Velho foram levados para Caraúbas.

Rondônia de um passado tão brilhante, como nós queríamos exaltar.

E começamos o novo ano com a “valorização da nossa cultura”.

Começamos cantando a nossa gente, os nossos bairros.

Como já possuímos uma saia vermelha no poder, agora ficamos com uma saia rodada na renovação da esperança por dias melhores para nossa cultura beradeira.

Esperamos não ficar meio a uma “torre de Bebel”.

Meio a esta saia rodada recebemos com grande entusiasmo o novo secretário da SECEL.

Com a sua formação no segmento cultural, esperamos que sejam realmente respeitados os espaços, os artistas e a arte em Rondônia.

Nossa capital que até pouco tempo era provinciana, agora toma forma de grande metrópole.

Precisamos de renovação, de novos espaços para que o seguimento cultural apareça, sendo comandado realmente por quem conhece de cultura.

Que sejam concretizados “arrastões” em prol da nossa cultura.

Que o Brasil e o mundo possam conhecer a todos nós os bandeirantes de Rondônia.

Que os calos secos da nossa cultura sejam tratados com muito carinho.

Somos sentinelas avançadas, somos destemidos pioneiros.

E sempre nos orgulharemos de Rondônia.

Começamos o ano meio a uma saia rodada.



Diz a lenda

DUZENTOS E CINQUENTA EM QUATRO I

Os pesadelos não podem ofuscar nossos sonhos. Diante da inconsequência de quem resume a vida dos outros na sua prisão de lamentos, ...