terça-feira, 29 de março de 2011

Diz a lenda – Tramela

Por: Beto Ramos

Você fechou as portas para nossa história.
Suas portas foram usadas como patentes de General.
Mas, suas portas não seriam tão importantes, pois estarão nos fundos da história.
Você que apontou o dedo simplesmente para deixar vir aos lábios um sorriso de escárnio, saiba que suas portas não seriam obstáculos para quem possui os sentimentos da verdade diante de suas palavras.
Os que mostram força como os Generais, simplesmente são expectadores desta nave da criatividade e amor por esta gente que foi criada em quintais que nem mesmo possuíam cercas.
Suas portas são regras criadas por você.
São portas sem cor alguma.
Portas que podem mudar.
Esta é a diferença entre ser e estar.
A história é história.
Estando, seria estória.
O nosso horizonte não possui trancas.
Talvez você nem mesmo saiba o que é tramela.
Mas, as chaves não deveriam possuir cor.
Bem, somos história e cultura.
Quanto a você, possui apenas a chave que abre ou fecha um corredor que leva os insensíveis para o esquecimento das portas dos fundos da história.
Você tentará abrir esta sua porta.
Neste momento você compreenderá que a porta só existiu na sua prepotência e incapacidade de compreender os sentimentos de quem vive durante vinte e quatro horas por dia a nossa história.

Diz a lenda.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

DUZENTOS E CINQUENTA EM QUATRO I

Os pesadelos não podem ofuscar nossos sonhos. Diante da inconsequência de quem resume a vida dos outros na sua prisão de lamentos, ...