quinta-feira, 25 de novembro de 2010

ETERNAMENTE CARTOLA




As rosas não falam!
Mas, os gestos das pessoas podem lamentar.
Quando surge uma alvorada lá no morro, com certeza nasce um poeta.
Quando as rosas não falam, fica triste o coração.
Quando nasce um poeta, morre um ser insensível.
A sensibilidade do homem nasce nas palavras.
Jamais poderíamos ser tão espinhos nas atitudes.
Os mais lindos versos nascem nos corações cheios de sensibilidade.
As rosas não falam!
Mas, não seria impossível nascer uma rosa meio a um deserto.
Sendo sensíveis, poderíamos nascer como pétalas da mais linda rosa do Cartola.
Os poetas nascem todos os dias.
Morrem todos os dias, as lágrimas nos olhos quando descobrimos que as rosas não falam.
As rosas não são ingênuas.
Elas exalam não o perfume que roubam das lindas poesias.
As rosas iluminam os caminhos de quem precisa de luz.
As rosas estão no mais ardido peito.
As rosas querem apenas silêncio.
As rosas são belas por natureza.
Elas não precisam dizer que são lindas rosas.
Coração de poeta não pode ficar com espinhos.
Quando o coração de poeta fica com espinho, em algum lugar morre uma rosa.
Quando sangra o peito do poeta, com feridas dos espinhos, o silêncio é a causa da cura.
As rosas não falam.
Mas, elas nascem em todos os corações.
Nascendo em desertos, elas podem trazer a esperança.
Mas, quando morre um poeta, a insensibilidade toma conta da alma.
As rosas não poderiam jamais exalar alucinações.
Elas precisam emanar sonhos que podem transformar-se em realidade.
Quando um poeta chora, alguma rosa pode estar murchando.
As rosas não falam.
Quando o coração de um poeta transforma-se num deserto, sempre alguma rosa aparece para trazer a beleza da renovação, da verdade, da amizade, do carinho que todos os poetas sentem por todas as pessoas.
Diz a lenda, que existe uma rosa que continua a ser bela.
Mas, esta rosa imagina ser girassol.
Quando uma rosa imagina ser girassol, ela precisa ser adubada com realidade, com quem sabe um pedido de ajuda.
Em todos os corações, existem rosas em botão.
Rosas podem trazer sensibilidade a quem deseja ser girassol.
Hoje, quem faz prosa está triste.
Ainda busca aquela rosa meio a um grande deserto.
Quando as rosas não falam, precisamos apenas cantá-las.
Talvez cantando, todos os males poderiam ser mandados para bem longe.
A amizade é uma rosa.
As rosas só deixam de falar, quando deixamos de ajudar um triste girassol.
Hoje as rosas do meu coração estão apenas em botão.
Mas, as rosas continuam lá.
Crescerão belas.
Deixarão no caminho de quem acha que as rosas não falam um perfume com a esperança de que tudo um dia irá mudar.
A prosa apenas ficou triste.
As rosas não... Elas jamais roubariam à sensibilidade que existe em todos nós.

Para um amigo que tentou transformar-se em girassol, mas, que meu coração pede para ajudá-lo.



Diz a lenda.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

DUZENTOS E CINQUENTA EM QUATRO I

Os pesadelos não podem ofuscar nossos sonhos. Diante da inconsequência de quem resume a vida dos outros na sua prisão de lamentos, ...