sábado, 3 de abril de 2010

Fotografia e fotografia

Outro dia no Mercado Cultural, percebi o quanto a fotografia evoluiu.
Evoluiu no sentido de quantidade de pessoas que possuem uma câmera digital. Em certo evento contei pra mais de doze fotógrafos credenciados por sites de noticias. A fotografia perdeu alguma coisa neste mundo cheio de maquininhas, que fazem de qualquer um o dono da imagem. Fazer uma fotografia ou bater uma fotografia? Eis uma questão meio estranha de responder. O que seria diafragma? O que seria uma composição? E o conhecimento de luz? O advento da imagem digital retirou da fotografia o encanto e a magia da descoberta de uma imagem. A fina arte ficou perdida meio a parafernália que é preciso para registrar uma imagem digital. Nada contra a evolução da tecnologia. Em alguns casos não existe a preocupação em fazer uma imagem. Quase todos batem e batem fotografias sem a mínima com o resultado. Sem contar que quase todas as fotos ficam arquivadas em CDs e computadores, sem aquela magia de tocar o papel fotográfico. E quando abrimos alguns sites, que susto. Algumas imagens estão escuras, com luz estourada, e sem a preocupação de se entender que uma fotografia pode influenciar na auto-estima das pessoas. Em certa data, minha mulher junto com sua turma da faculdade contratou certa empresa do ramo de fotografia de formatura. Que tristeza ver pessoas que se dizem profissionais compor uma imagem de qualquer jeito, para apresentar no final, quem sabe, um álbum medíocre e bem abaixo da expectativa dos formandos. Rolou processo, e foi contratada outra empresa para finalizar o evento. Talvez fosse preciso o mínimo de treinamento para alguns destes profissionais. Hoje, não existe imagem sem tratamento em programas de edição de imagem. O photoshop é ferramenta básica para um fotografo. Ferramenta e não a solução para todos os problemas. Seria preciso fotografar editando as imagens para não ficar refém de certas ferramentas. Estamos distantes de grandes centros de formação, mas, aqui em Porto Velho possuímos profissionais capacitados para algum treinamento em determinada área da fotografia. Faço restauração de fotos antigas, e sou autodidata em tudo que faço. Talvez este fosse um mercado para ser mais explorado por algumas empresas da nossa capital. “O mercado de treinamento de fotógrafos”. Porto Velho cresceu, e os profissionais capacitados sempre serão lembrados pela qualidade dos seus trabalhos. Outros serão lembrados apenas uma vez... Possuo amigos que são excelentes profissionais como o Ésio Mendes, Bolotha, Elmir Marques, Brito, Machado e tantos outros. Ser ou estar? Esta é uma questão meio estranha de ser respondida. Precisaríamos rever certos conceitos neste nosso mundo da fotografia, para não queimar o filme de todo mundo, ou melhor, os pixels da gente.

Beto Ramos – Fotografo e Restaurador de fotografias antigas

Nenhum comentário:

Postar um comentário

DUZENTOS E CINQUENTA EM QUATRO I

Os pesadelos não podem ofuscar nossos sonhos. Diante da inconsequência de quem resume a vida dos outros na sua prisão de lamentos, ...